Consultório

Rua Soriano de Souza, 115 sala 806 - Consultório 2.

Próximo ao Metrô da Praça Sans Pena (Saída General Roca).

Telefones

(21) 98866-0871

Não trabalho com convênios

  • w-facebook

DESENVOLVIDO POR KOGUMELO

Hipnoterapia Ericksoniana

Quem foi Milton Erickson?



Milton H. Erickson, famoso médico e psicólogo que revolucionou o estudo e a aplicação da hipnose, é considerado uma das maiores autoridades mundiais em hipnose aplicada à psicoterapia e à medicina. Foi o criador da hipnose moderna e da psicoterapia breve estratégica. Cresceu no meio rural, em Nevada e em sua juventude teve poliomelite, mas conseguiu se recuperar apesar de ter sido desenganado pelos médicos.



A partir da observação da própria doença e sua recuperação, ele conseguiu realizar um profundo aprendizado sobre a plasticidade do cérebro, e da capacidade do ser humano de comandar o próprio corpo e de dar sugestões positivas ao inconsciente.

Até então, a hipnose era conhecida através do trabalho de Sigmund Freud, que a utilizava em suas pacientes histéricas. Freud abandonou a hipnose algum tempo depois por acreditar que este método contrapunha à necessidade científica da época.



Foi com o trabalho de Milton Erickson, que a hipnose ganhou uma outra dimensão e muitos estudos foram feitos posteriormente sobre a neurofisiologia do cérebro quando uma pessoa está em estado alterado de consciência, mostrando um novo campo de possibilidades.



A hipnose realizada por Milton Erickson ficou conhecida como hipnose natural, pois ele utilizava o próprio conteúdo do cliente para levá-lo aos poucos a um estado de transe. Isso permitia que o cliente fosse se desligando dos estímulos do mundo externo e começasse a se voltar para o seu interior. Ele utilizava tudo que aparecesse durante a sessão, inclusive metáforas, confusão, e até mesmo as resistências do cliente.



No transe ericksoniano a pessoa permanece desperta, participando ativamente do seu próprio processo. Aliás, a palavra hipnose vem de hypnos, que significa sono, e hipnose na verdade não significa sono, e sim com um estado alterado de consciência, no qual a pessoa fica mais susceptível a acessar conteúdos do inconsciente e influenciar positivamente suas experiências.



Costuma-se pensar no inconsciente como um grande depósito de traumas e situações mal resolvidas, todavia o inconsciente, além de conter experiências de toda ordem (positivas e negativas), é também onde estão os recursos que o indivíduo não vem utilizando de forma consciente, ou que está usando precariamente (como se tivessem enferrujados). Entrar em contato com estes recursos pode representar um grande salto do indivíduo em direção à sua saúde e bem estar.



A hipnoterapia ericksoniana vem sendo utilizada com excelentes resultados na prática psicoterápica, pois ela favorece a quebra de padrões indesejáveis, comportamentos repetitivos que normalmente não se consegue evitar apenas pensando racionalmente sobre eles.

Sua aplicação tem ajudado no alívio do sofrimento, na melhoria e expansão de seres humanos, tornando-se assim uma ferramenta indispensável para os profissionais de saúde.

VEJA O QUE VOCÊ DESEJA E COMO A HIPNOSE PODE LHE AJUDAR (ALIADA À PSICOTERAPIA):

- Transtornos de Ansiedade, incluindo pânico, fobias, TOC, TAG, medos

- Depressão

 

- Compulsões

 

- Objetivos – foco – estudos - carreira – trabalho

 

- Melhoria dos relacionamentos

 

 

TIRE SUAS DÚVIDAS

O QUE É HIPNOSE E COMO FUNCIONA

A prática da hipnose em Psicologia foi regulamentada pelo CFP (Nº. 013/2000).

A hipnose vem sendo amplamente utilizada por profissionais de diversos campos, incluindo os psicólogos e dentistas e outros na área de saúde, porém deve ser feita por profissionais treinados e qualificados para isso. 

QUANTAS SESSÕES DE HIPNOSE SÃO NECESSÁRIAS PARA QUE A MUDANÇA ACONTEÇA?

É comum o paciente acreditar que apenas uma sessão é necessária para resolver os conflitos que o vem atormentando, e isso de fato pode até acontecer, mas não há garantias. O clima mágico que sempre envolveu a hipnose, a hipnose de palco, o senso de urgência dos dias atuais, todos estes fatores colaboram para este pensamento.

É necessário explicar que a hipnose não é uma terapia em si, e sim uma técnica especializada que pode ser utilizada na prática clínica como parte do processo terapêutico. Daí chamarmos Hipnoterapia, já que se trata de um acompanhamento, e não de uma única sessão onde o cliente simplesmente elimina um sintoma. SE VOCÊ DESEJA FAZER APENAS UMA SESSÃO PARA RESOLVER O SEU PROBLEMA, ESTE PROCESSO NÃO É PARA VOCÊ.

Isso porque certos sintomas têm uma função para a organização do psiquismo, e neste acompanhamento terapêutico é possível identificar estas funções, ajudando o paciente a entender a linguagem do sintoma e a encontrar novas formas de lidar com os problemas. Do contrário, corre-se o risco da pessoa apenas eliminar o sintoma, mas em pouco tempo ver-se diante de conflitos semelhantes.

Porém, não são em todos os casos que os sintomas funcionam como uma organização da psique, eles também podem ser aprendizados ao longo da vida do indivíduo, condicionamentos que, se modificados de modo eficaz, não resultam na substituição por outros comportamentos  problemáticos.

Portanto, o resultado dependerá do processo de assimilação e integração do psiquismo diante de tudo o que é feito nas sessões. Sendo que, como mencionado, a hipnose é uma técnica a mais no processo completo que se chama Psicoterapia.

Além disso, também depende dos objetivos que a pessoa deseja alcançar. Como trabalho com psicoterapia breve, normalmente utilizo ciclos de sessões para trabalhar um objetivo, e ao final de cada ciclo avaliamos o processo. Normalmente utilizo de 5 a 16 sessões de hipnose, além da psicoterapia. É necessário uma avaliação para cada caso.   

 

TIPOS DE HIPNOSE:

A Hipnose utilizada para fins terapêuticos pode ser a Clássica ou a Ericksoniana. Embora eu utilize em alguns momentos algumas técnicas clássicas, a base do meu trabalho é a Hipnose Ericksoniana, por desenvolver um método natural, cooperativo com o paciente e que tem como premissa básica que TODOS TEMOS OS RECURSOS INTERNOS NECESSÁRIOS QUE PRECISAMOS PARA LIDAR COM OS DESAFIOS QUE SURGEM EM NOSSA VIDA.

A Hipnose Clássica compõe um conjunto de comandos específicos que direcionam o paciente para estados de transe que variam de leve a mais profundo, os quais o possibilitam a entrar em contato com conteúdos psicoemocionais, ressignificando e elaborando estes conteúdos, de modo a aceitar novas sugestões que representem melhores soluções na sua vida atual.

A Hipnose Ericksoniana tem o mesmo objetivo, mas é mais natural, e pode acontecer na própria conversa com o paciente, sem que, necessariamente,  este tenha que adotar um procedimento específico como recostar-se, fechar os olhos e relaxar. Estas técnicas foram desenvolvidas por Milton Erickson, que adotou uma forma natural de tratar seus pacientes a partir de sua própria deficiência (ele teve poliomielite quando criança e, consequentemente, muitas sequelas e restrições com o próprio corpo, o que o levou a ter uma grande habilidade em lidar, não apenas com o corpo, mas com sua própria mente).

PENSAMENTOS EQUIVOCADOS SOBRE A HIPNOSE

HIPNOSE É A MESMA COISA QUE SONO?

Não. Embora a origem da palavra Hipnose venha do grego Hipnos, que significa sono, nada tem a ver com dormir. Na ficção esta ideia também foi muito propagada com o pêndulo e a famosa ordem: Durma! Mas em uma sessão de hipnoterapia o processo é completamente diferente.

Hipnose é um estado de consciência alterado, ou seja,  um estado de transe. Isso é completamente natural, e todos nós passamos por estados de transe várias vezes durante o dia. Um exemplo: às vezes quando estamos dirigindo e nem sequer percebemos que paramos no sinal, passamos as marchas, ligamos o som, e quando vemos, já chegamos ao nosso destino. Fazemos tudo isso sem percebermos e notamos que nossos pensamentos estiveram em várias situações. São transes leves que todos nós passamos sem, contudo, perdermos a consciência. Nem estávamos dormindo e nem totalmente alertas, e sim em um estado leve de transe.

O que ocorre é que na hipnoterapia provocamos estes estados,  pois eles são ótimos para fazermos mudanças, já que assim nossa mente se torna mais suscetível às sugestões positivas que quisermos dar. Estas sugestões são combinadas previamente com o terapeuta durante o processo de Psicoterapia.

POSSO FICAR SOB O CONTROLE DE OUTRA PESSOA?

 

Não, pois a consciência é mais forte que a hipnose. Não é possível realizar nada que vá contra o código de ética e moral do paciente. Suponha que a pessoa esteja em transe profundo e o terapeuta diga: “conte-me um grande segredo” ou “tire sua roupa”.  Ao ouvir este comando a pessoa simplesmente desperta, pois a consciência resguarda a pessoa daquilo que ela não quer ou que vai contra seus princípios morais.

POSSO PERDER O CONTROLE E FICAR INCONSCIENTE DURANTE A HIPNOSE?

Não é possível, pois não existe perda de consciência. Uma outra ideia é de que a pessoa pode acessar um conteúdo e ficar presa nele. A pessoa não vai a lugar nenhum, nem tampouco perde a noção de si mesmo. Isso é um grande mito. A pessoa entra em um estado de relaxamento e o máximo que pode acontecer é um leve sono e o despertar em seguida, pois a ideia não é dormir, e sim estar relaxado para que entre em contato consigo mesma e possa ressignificar aquilo que vem trazendo dor, para então sugerir o que deseja no lugar disso.

 

POSSO ME LEMBRAR DE TUDO E TER UMA SUPERMEMÓRIA?

Embora a hipnose ajude as pessoas a lembrarem de fatos esquecidos, a  hipermnésia não é um fenômeno tão comum quanto mostrado na ficção. Segundo pesquisas, grande parte das memórias evocadas em sessões de hipnose são reconstruídas a partir de fragmentos de outras memórias.

Uma memória pode ser evocada a partir da hipnose se ela estiver bloqueada, como a lembrança de uma senha por exemplo, mas se ela estiver totalmente apagada, a lembrança se torna muito mais difícil. 

Veja o depoimento de quem já fez

"A terapia foi muito boa para mim porque tomei consciência de hábitos que eu nem sabia que tinha e que eram prejudiciais para o meu auto desenvolvimento e realização de metas. Nisso, a hipnoterapia me surpreendeu frente à psicoterapia tradicional, pois me trouxe resultado num tempo menor." 

 

V.M., Engenheira Química, 34 anos